Trechos da minha impaciência –  XI

9 de dezembro de 2018 6 Comentários

Traços nunca saem e definem o quê tu és. Dígitos da tua própria conta. Conta a ciência social, que seguir outros tratados te colocam na margem d’outras espécies mais próximas do topo e assim, e por estas razões, o deslumbramento. E tu renegas o teu código e o teu código te renega.

O exíguo do tempo. O lamento por parecer que permitisses tempo demasiado para outras escolhas, as tuas escolhas, e resignas.

Dado outro tempo ou muito tempo da tua parca conta, percebes-te n’outras necessidades, que já te incitaram antes e te pareciam coisas menores por tanta simplicidade. Simples de somar.

Agora tu és a discussão do Financial Times ( desde 94 ). O ano é 2018 e, matematicamente, tudo parece ter pouca importância. Tu já lestes coisas assim antes e, tua memória só refaz os devaneios schopenhauerianos – “ Não fui convidado para estar neste plano existencial e se o fosse, não viria, mas já que estou aqui, quero aproveitar o máximo.”

Mas parece apenas mais um sonho…


6 Comentários para Trechos da minha impaciência – XI:

  1. Rosana Oliveira disse:

    Hang, não me canso de ler, de apreciar, de me identificar…linnndo demais!

    1. hangadmin disse:

      Ai me coraçãozinho… Gratidão Rosana, demais você aqui e ainda ter gostado assim. Bjooo

  2. Helena disse:

    É aquela coisa!! A gente não consegue apenas ler e sair incólume!! A emoção fica assim, assim, por um tempão! Aí a gente lê de novo, na esperança de. E apaixona ainda mais! Tu é foda!

    1. hangadmin disse:

      Puxa vida Helena, isso tudo é tão bonito pra mim…Agradeço a tua tão bonita manifestação viu? Mil bjs

  3. alinA Zucatti disse:

    Maravilhoso, você nos inspira, nos encanta sempre. Obrigada querido 🤩😘😍

    1. hangadmin disse:

      A gratidão é minha Aline. Agradeço demais o tempo dedicado a este amigo e ao meu trabalho. Maravilhoso saber que gostou este tanto assim…

Deixe uma resposta