Subscrito

5 de maio de 2018 2 Comentários

aceita, mas, sem favor
o meu amor incomum
nascido deste respiro
do diafragma comunista
aceita feito luta
como pede a cartilha
da poesia maldita
que de tão pretensa
pesa na mão anarquista
mesmo tenso o teu rosto
exposto sobre a folha de Havana
aceita o meu amor
que sê também socialista


2 Comentários para Subscrito:

  1. estevamweb disse:

    Quanta sensibilidade política neste poema! Isto é só para grandes poetas…

  2. Hang, tenho lágrimas nos olhos, foto perfeita, poesia em crescente detonante. Obrigada por essa!

Deixe uma resposta