Rarefeito

11 de setembro de 2019 Nenhum Comentário

uma crepitante armadura

frágil teto ao pé direito

tal coluna aramada

qual sopro num peito d‘areia

um dia de água e sal

o espanto do homem de palha

uma garganta arranhando

as dores das raspas de taiti

a falha gelada da voz

 

o crivo do grito do corvo

o frio agudo da lâmina

o filete descendo a testa

 

a presa, a pressa,

o fosso, a força,

o peso, o preço,

 

crepitante

frágil

coluna

d’areia

um dia

de espanto

arranha

dores

geladas

o crivo

o frio

a testa

 

sou a presa, tenho pressa, tenho o fosso, perco a força, sou o peso, pago o preço


Deixe uma resposta