Dois poemas de Hang Ferrero — Arribação

7 de fevereiro de 2020 Nenhum Comentário

Pitada é sempre por entre os ecos que amo.pouca luz, silêncio, sombras virtuosas.é sempre a cúrcuma que me tempera.sopro um balé anasalado e assanho a dança do fogo; são segredos da vela.aperto os olhos por uns três instantes,abro-os feito espasmo, o mais rápido que posso e tenho assim, raízes de sol.por ser sempre amor, eu só troco […]

via Dois poemas de Hang Ferrero — Arribação


Deixe uma resposta