Hemera

2 de maio de 2018 1 Comentário

tudo é história e tentarei provar: é coisa minha e tua e, daquele encontro precipitou-se qualquer coisa de profecia e vimos – primeiro eu né? depois tu, desajustou-se quando nem rua tinha tamanho de rua – só calçada – e ela – a calçada – tombou gritando: “amor á vistaaaa!” e tem sido assim do que podemos ser de imenso dum pro outro. destino? neste intransferível caso nosso, nem Houaiss explicaria…


1 Comentário para Hemera:

Deixe uma resposta