Eros

26 de maio de 2017 Nenhum Comentário

o ímpeto, o cheiro, a boca
virulência: um animal em mim
a tempestade daqueles olhos
um mar agitando, íntimo e cruel
pequena morte e nenhuma palavra
a louca arrisca transparências
eu, piro e assopro os poros
e só paro quando queimam as costas


Deixe uma resposta