Bunker

10 de abril de 2018 1 Comentário

Sou a combinação dos resultados entre a providência divina executada por desastrados querubins e de práticas pessoais com pouco trato à habilidade e ainda de exagero na força. Por isso, vivo de refúgios e de encontros e de acasos – caso não saibam, sou um bunker.
Recebi doses maciças de amor-muito, pela autopiedade e, de amor-nenhum, pela agressiva alquimia dos tonéis de carvalho. Mas também vivo de louco-um-tanto e do gosto-estético e assim sendo e levitando, vejo nuvens de botão pra cada casa-buraco do meu peito de um só homem que sou um só, mas de muitas solidões.
Ainda assim, com pouca voz e rouco, sou mundo, vejam só…


1 Comentário para Bunker:

Deixe uma resposta