Mais que ontem

17 de janeiro de 2019 2 Comentários

tanto em mim
muitos de mim
uns bilhões
um binário
espada de Jorge da Capadócia
e também um bastião, Sebastião
e o choro? choro por qualquer coisa
por tanta gente
por quase nada
começaram tudo agora
e eu um viajante na via láctea
vejo estrelas num planeta
de 200 milhões de anos
e só 50 mil anos, dos humanos
castigo em mim? castiguem-me!
bendito Deus! Oh Deus Bendito!
e eu aqui, por minha mãe
pra mãe dela
pra minha amada
e por elas minhas preces
minhas Ave-Marias
de resto? ‘começaram tudo agora’
o mesmo que quase nada


2 Comentários para Mais que ontem:

  1. estevamweb disse:

    Que poema esplêndido!!!

    1. hangadmin disse:

      Ahhh. Como me alegra a sua visita nobre amigo. Agradeço as palavras da sua gentileza…

Deixe uma resposta